segunda-feira, 14 de julho de 2008

Mon caddie, mon amour ou Meu carrinho de compras, minha salvação (muito menos poético)

Para quem se inicia na rotina do supermercado,
Uma das preocupações é ser-se poupado.
Recusa-se então um caddie comprar,
Pensando que um par de jovens braços,
Chega para tudo transportar
Sem grandes embaraços.

Isto até ao dia das promoções,
Em que redobram as mesmas preocupações.
Quatro pacotes de leite pelo preço de três,
Duas latas de ervilhas com uma grátis de cenoura a acompanhar,
Eis as contas que se fez:
Há que aproveitar!

Mas a felicidade das poupanças é de pouca duração:
Assim que se vê carregado que nem um burro,
Surge a tremenda e dolorosa aflição
De se ser tão casmurro.
Agoniza-se até casa sob o peso dos sacos,
Sofrendo dos membros cada vez mais fracos.

Marimbe-se a economia!
Marimbe-se o look antiquado!
Começa então uma grande correria,
Em busca do caddie tão desejado!
Às riscas, às pintinhas ou aos quadrados,
É só escolher neste festival de caddies abençoados!

Oh caddie, se soubesses como minha vida mudaste!
Como minhas compras facilitaste!
Com tuas brancas rodas pela rua fora,
Passeias os meus víveres sem demora!
E quando em casa, guardo-te com um beijinho,
Num armário, todo dobradinho.

17 comentários:

Pedro Guinote disse...

olha que cadis tão bonito!!!
e finalmente ja temos o blog novamente activo!!! boa mariana!! enche mas é aí o teu cadis de cervejola para uma mega party em honra ao retomar deste espaço! ;)
beijinhos!!

Anónimo disse...

Mariana, gostei imenso de ir ai a tua casa, de ver com os meus proprios olhos todos os cantos, de conhecer o teu bairro, a tua rua, o teu metro e de te ver!
Um grande beijinho e espero que as orais tenham corrido todas bem (tenho a certeza que sim)! Um grande beijinho, Carolina Lemos.

PS: muito obrigada pelo bolo de chocolate, estava optiiimo.

Anónimo disse...

E quando o profissionalismo vient se mêler de tout ça? O caddie já não tem só 2 rodas mas 6 (!), para se içar sobre os obstáculos intransponíveis que são os rebordos de passeios. E serve para ir ao mercado, genuíno, daqueles de aldeia, onde nem há sacos de plástico. E serve para carregar os quilos de detergentes vários que rompem os músculos de qq jovem + ginasticado.
Os meus conterrâneos bem me industriam para recorrer aos serviços de "entrega em casa". Mas ... quem está em casa para receber as encomendas?
Não! Viva o meu inefável caddiezinho, que aos sábados de manhã se passeia todo lampeiro, piscando o olho aos seus amigo(a)s, de onde espreitam ramos de verdura, comestíveis ou não, uma baguette, um jornal...
Prefiro ser antiquada!

Paula Marques, mercado de Stockel, Bruxelas.

Mariana la Parisienne disse...

Obrigada pela solidariedade na experiência de caddie e por me ter feito ir ver ao dicionário a ortografia do dito... (ups!)

Longa vida ao caddie-dos-sábados-de-manhã-no-mercado-de-Stockel !

Anónimo disse...

Mariana, antiquado? Não percebo,nós temos um da mesma família não para as compras (essas sim, levam a casa) mas para o transporte regular entre Almoçageme e Lisboa e vice versa. Há sempre coisas para transportar, lembraste? E comprado há muito pouco tempo na Área; aliás há lá mais à venda.
Já agora, podemos usar o teu caddie em Agosto?
Beijos
MM

Anónimo disse...

a propósito não é lembraste mas lembras-te?
MM

Fifi disse...

Devo dizer que a cor verde até é bastante estilosa. As velhotas nao o comprariam - "tao feiiito axim em berde, ó senhor Lopes nao tem aí um beigggezinho axxim com um estampadito bonito?"
Muitos beijinhos de Mazar-i-Sharif, onde nao há caddie que valha a terra batida e as restricoes de seguranca... snif

Anónimo disse...

Olá ganda Mariana! Agora dona-de-casa poeta!Atãocomé? É memo assim! Volta de pressinha dentro do caddie-coiso para irmos almoçar com as gaivotas. Bjs
JP

gracanieto disse...

Que bom de volta a nossa alfacinha! Mas não será pequeno o cadddie para abastecer a avalanche de primos que aí vem?
Um beijinho

gracanieto disse...

Que
de volta a alfacinha!

Maria Augusta disse...

PARABÉNS!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
Por tudo o que soubeste fazer sozinha, por ti, pelas portas que se abriram;
pela autonomia que ganhaste.
Pela tua vida!!!!
Parabéns .
Mãe

F. disse...

Oh pchté, como é que é? Nao se escreve mais no beloguio?

F. disse...

Oh pchté, como é que é? Nao se escreve mais no blóguio?

geest disse...

Lindérrimo.
E é, definitivamente, o melhor modelo para as cenouras grátis - experiência própria.

Anónimo disse...

Querida alfacinha,
Acredito que este comentário caia em caddie roto.
Este blog está mais do que abandonado.
Tenho imensa pena porque não sei onde voltar a encontrá-la.
deixo aqui meu pesar.
Sua solidária, Paula

Anónimo disse...

Mary, já ninguém pode com o caddie mon amour. Ve là se escreves outra coisa neste blogue outrora tao activo e hoje tao abandonado.
Fifi

pedro o teu sobrinho disse...

ganda lool tia....esse blog ta memo fxe hahahahaha eu e a avo mae fartamo.nos de rir

bjx volta depressa